Fundação Terra lança campanha de educação integral para combater trabalho infantil

Pernambuco soma 123.299 crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil. Dessa, 43.775 meninos e meninas de 5 a 17 anos de idade atuam de forma precoce em atividades do campo e serviços domésticos, segundo levantamento do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI). Os números são da pesquisa de 2014 (mais recentes). Com o objetivo de combater a exploração irregular de trabalho desse público, a Fundação Terra, com sede em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, lança uma campanha solidária cujo objetivo é angariar fundos para aquisição de 178 novas carteiras escolares, um passo fundamental para agregar na reforma pedagógica de educação integral da instituição social de Padre Airton Freire.

A nova configuração educacional da organização vai além do currículo formal básico. A proposta pedagógica visa adequar o período de permanência de meninos e meninas na escola, que funcionava em período semi-integral, a uma realidade de educação integral, o que significa que os estudantes irão permanecer na escola o dia todo. Sendo assim, crianças e adolescentes vão passar a ter, além da grade curricular básica, outras metodologias educativas, culturais e esportivas. “A reforma pedagógica da escola envolve as crianças e a família. Essa nova estrutura é mais abrangente e vai incluir disciplinas complementares, apoio psicológico e de psicomotricidade relacional e vai envolver todos os setores da instituição: educação, saúde e social”, explica Wellington Santana, superintendente da Fundação Terra.

Esse novo sistema, que funcionava em caráter de teste na Pax Christi Schola, na zona rural de Arcoverde, passará a ser em definitivo a partir deste ano. “A nova proposta pedagógica terá uma visão holística, o que inclui vários aspectos da formação humana, como cidadania e o emocional de crianças e adolescentes”, garante o superintendente.
Para fomentar uma nova perspectiva na educação da Fundação Terra, foram realizadas várias pesquisas em instituições que atuam com excelência nessa nova realidade. Além disso, os educadores também vão passar por uma reciclagem. “Haverá capacitação com os professores para adequá-los ao novo formato, buscando aperfeiçoá-los para que consigam transmitir às novas metodologias de ensino aos alunos da Fundação Terra”, completa Wellington.

Para que continue a transformar vidas para melhor, a instituição social de Padre Airton projeta arrecadar R$ 80 mil para aquisição de novas carteiras escolares, o que dará mais conforto e comodidade às 178 crianças e adolescentes atendidos diariamente na Pax Christi Schola. Para alcançar essa meta, a organização lança uma campanha solidária. “Convidamos todos a se juntarem a nós nessa missão de oferecer uma educação de qualidade para quem pouco possui. A doação para a aquisição dessas carteiras é  uma expressão de amor, para com os pequeninos que a vida pouco ofertou”, concluiu Chames Balladares, coordenadora de Mobilização de Recursos da Fundação Terra.

A Fundação Terra em números

Criada em 1984 pelo padre Airton Freire, a Fundação Terra surgiu numa área chamada popularmente de Rua do Lixo, em Arcoverde, município do Sertão pernambucano, a 250 quilômetros do Recife. Onde antes estava localizado o lixão do município, hoje há escola, creche, biblioteca, instituição de longa permanência para idosos e várias ações sociais. Há mais de 10 anos, as ações da instituição chegaram também a Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (CE), onde está localizada na comunidade do Alto Alegre II. No Ceará, funciona a Creche Pleno Viver e o centro esportivo e cultural Renatu’s, com ações também na área de profissionalização. Em 2016, foi aberto no Recife o Centro de Apoio aos Moradores de Rua (C Amor), que funciona no Pátio da Santa Cruz, bairro da Boa Vista.

Mais informações: www.fundacaoterra.org.br

Via: Jornal Portal do Sertão

Foto: Blog Wagner Gil / Divulgação

Deixe seus comentários