Mestre Assis Calixto do Coco Raízes de Arcoverde é um dos novos Patrimônios Vivos de Pernambuco

A realização da última etapa do 14º Concurso do Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco – RPV-PE, promovido pelo Governo de Pernambuco, através da Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE) e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), elegeu na tarde desta quarta-feira, 10 de julho, Francisco de Assis Calixto Montenegro – o Mestre Assis do Coco Raízes de Arcoverde – como um nos seis novos Patrimônios Vivos do Estado.

Mestre Assis Calixto

A importância da conquista pelo mestre, segundo o presidente do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural, Aramis Macêdo, representa “a primeira titulação atribuída a um representante de cultura popular na região do Sertão do Moxotó”, ressaltou o presidente, informando também que o concurso passou a descentralizar a avaliação de candidatos de fora da Região Metropolitana do Recife, para que outras representações do estado também fossem contempladas.

De acordo com a Fundarpe, o programa de Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco agrega como finalidade o apoio financeiro e a preservação dos processos de criação e divulgação de técnicas, modos de fazer e saberes dos vencedores, mediante atividades, ações e projetos desenvolvidos.

Além do Mestre Assis Calixto, foram escolhidos nesta edição do concurso: Mestre Saúba (Brinquedos populares e mamulengos, de Jaboatão dos Guararapes); Maracatu de Baque Solto Cambinda Brasileira (Nazaré da Mata); Mestre Aprígio (artesão do couro, de Ouricuri); Mestre Nado (artesão de instrumentos musicais feitos de barro, de Olinda); e Tribo Indígena Carijós do Recife (Caboclinho, do Recife).

Mestre Assis Calixto - Foto: Kleber Gomes

Trajetória – Conhecido pela tradição no Coco Raízes de Arcoverde, que difundi há mais de 60 anos, Mestre Assis atua além de músico e compositor, como artista plástico, artesão, poeta e educador social. Natural da cidade de Sertânia, ele também é popular por confeccionar as tamancas de madeira utilizadas na dança do samba de coco.

Fotos: PJ Torres (xis.club!)/Kleber Gomes

Deixe seus comentários